Nova Resposta
Nome
X
Email
Mensagem
Ficheiros Máx 4 ficheiros100MB total
Palavra-passe
[Responder]


Aviso: >>>/meta/10480


ps-vita-os-outdoors-900.jpg
[Esconder] (140.3KB, 1600x900) ImgOps
Wii_U.jpg
[Esconder] (262.5KB, 1280x720) ImgOps
Factos
Respostas: >>4166 >>4300
>>4165 (OP) 
A Wii U foi um erro tão grande que quase faliu a Nintendo, uma visão confusa da Nintendo que não foi adoptada por estúdios terceiros. E a Vita foi um sistema que a Sony ignorou completamente quase após o lançamento e levou ao fim da divisão de consolas portáteis deles, não obstante a existência de um nicho de mercado bastante entusiástico. Ambas essas consolas foram ultrapassadas pela Nintendo Switch que carrega o melhor ADN de ambas. Não há muito mais a dizer quanto a isto, penso eu. Não sei porque é que alguém haveria de dizer que foram as "últimas consolas com alma".
Respostas: >>4167 >>4249
>>4166
Olha para a UI da Switch. Mais genérico que aquilo é difícil. É que nem se deram ao trabalho de criar música de fundo. Só triste. Sem alma.
A partir da PS4/Xbone a alma foi sugada das consolas
Respostas: >>4168 >>4251
>>4167
Se queres falar em UI com alma, não será a Vita mas talvez a 3DS. Além disso, de que serve um UI se o hardware é o resultado de meteres ideas men Japoneses num colisor de partículas? A Wii U não foi um fracasso por acaso. E a Switch não ter temas (por agora, pelo menos) não significa que não seja bom hardware que muitos irão sentir muita nostalgia no futuro.

A Vita era bom hardware. Apenas falhou porque a Sony por algum motivo achou que devia auto-sabotar o produto. Mas o UI não tinha absolutamente nada de extraordinário, pelo que não entendo qual é o teu argumento aqui ao certo.
Respostas: >>4169
>>4168
A LiveArea é bonita, funcional e com linda música de fundo.
E a Vita não falhou devido à snoy, mas estou cansado demais para discutir isso a estas horas
Respostas: >>4170
>>4169
>E a Vita não falhou devido à snoy, mas estou cansado demais para discutir isso a estas horas
Realmente já não são horas para este autismo. Mas quero ouvir-te justificar como é que a sucessora de uma das consolas mais vendidas de todos os tempos mal conseguiu mover 10 milhões de unidades. Até a 3DS vendeu 40 milhões e já era um produto com relativamente pouco entusiasmo no mercado.
Respostas: >>4177
Comprei uma Vita há uns meses (80 paus impecável), e sinceramente foi a melhor compra que fiz (a seguir à compra dum carro para o namorado da minha mulher).

Facilmente pirateias a Vita e depois tens à disposição não só a coleção de jogos da Vita, como também da PSP e da PSX. Foda-se! Ainda podes meter emuladores no bicho caso tenhas tesão para isso.
Se queres falar de alma, nao podes ir para além da PSP, Wii e DS (ou ainda a 3DS). A partir daí é agradar às massas ou tentativas experimentais falhadas
Respostas: >>4177
>>4170
Consolas portáteis estavam a morrer devido aos smartphones. As massas (e desenvolvedoras e editoras de jogos) já não queriam saber delas. Só isso. Não, a snoy não tentou matar a Vita de propósito.

A própria 3DS vendeu menos de metade do que a DS vendeu. É um decréscimo colossal. E a 3DS era um sistema portátil da nintendo - um sistema com vendas facilmente impulsionadas pelos Pokemons e Mários desta vida.
A PSP só vendeu metade do que a DS vendeu, e se a PSP não conseguia fazer frente à nintendo, como conseguiria a Vita? Que vendeu umas 16 milhões de unidades já foi por si um milagre.
Desenvolver um jogo para a Vita também era caro (a Vita era muitas vezes mais poderosa que a 3DS) apesar de os jogos custarem o mesmo que jogos 3DS para o consumidor. Não admira que a rockstar nem lhe tenha tocado: um GTA feito para a Vita seria caro, e com lucros limitados pelo baixo preço dos jogos em si e principalmente pelo facto de o mercado de consolas portáteis estar a morrer.
Monster Hunter (principal impulsionador da PSP no Japão) decidiu abandonar a PS e ir com a 3DS. Mesmo com vários clones como Toukiden e Freedom Wars (este último até feito pela sony) nada conseguia chegar ao nível de MH.

Quando se fala da Vita é sempre a mesma coisa.
-"Ah, falhou porque a sony não fez jogos para ela!" Quando na verdade a sony tentou um monte de cenas com jogos first-party, desde novas entradas em séries estabelecidas (como Uncharted, Resistance, Killzone, Wipeout) a novas IPs como Gravity Rush, Tearaway, Soul Sacrifice, etc.
A verdade é que nada vendia o suficiente para cobrir os altos custos de desenvolvimento e justificar ainda mais jogos. Sony suportou a Vita com novos jogos até 2015, chega um ponto em que se não há maneira de fazer dinheiro, está na hora de desistir.
Deu o mesmo (se calhar até melhor) suporte à Vita que tinha dado à PSP num semelhante espaço de tempo. A verdade é que jogos first-party PS não são grandes boosts de vendas. Aqui vi muita gente a comprar a PSP para jogar GTA e Tekken em formato portátil. No Japão era Monster Hunter.
Quantas pessoas compraram uma PSP para jogar jogos first-party PS?
-"Ah os cartões de memória eram demasiado caros!" É verdade que eram caros, mas isto era num tempo em que a grande maioria das vendas de jogos eram em formato físico.
>>4175
A PSV é apenas uma evolução da PSP. Se a PSP tinha alma, a PSV também tem.
Respostas: >>4178 >>4179
>>4177
Excepto que toda a gente tinha uma PSP ou uma DS mas quase ninguem quis uma PSV. Até porque morreu em menos de nada. Independentemente se vendeu ou não, se pode considerar que tem alma nem tampouco marcou uma geração
Respostas: >>4180
>>4177
A 3DS não vendeu tanto como a DS mas não foi o erro gigantesco que foi a PSV. E o argumento "consolas portáteis já não vendem porque espertofones" é altamente especulativo. Não conheço ninguém que gayme no telemóvel, e a cena é simplesmente inexistente. A Apple é a terceira maior empresa de videojogos do mundo à frente da Nintendo, mas mesmo assim são tudo compras de impulso para consumidores desapegados que não se identificam como hobbyistas. O máximo que pode ser afirmado, na minha opinião, é que o consumidor não dispõe de dinheiro infinito e que portanto na altura em que os espertofones eram brinquedos relativamente novos (e relativamente caros) então isso roubou algumas vendas às consolas portáteis, embora não devido ao facto de serem supostos dispositivos gaymingue. Mesmo assim, reitero que é um argumento altamente especulativo, e que pelo menos a mim me soa intuitivamente falso. 

A PSV falhou por vários motivos, o facto de ter o preço errado, não ter uma ludoteca particularmente desenvolvida, os estúdios terem abandonado a plataforma e, também, hardware proprietário piçoso que literalmente custava mais do que o peso em ouro. A Sony tentou mitigar estes problemas em revisões subsequentes mas já era tarde demais.
Respostas: >>4180
1623302830217.jpg
[Esconder] (540.8KB, 2250x1500) ImgOps
IPS_vs_TN.jpg
[Esconder] (136KB, 800x600) ImgOps
>>4178
O que dizes não tem a relação com o que quer que seja.
>>4179
>Não conheço ninguém que gayme no telemóvel, e a cena é simplesmente inexistente.
Casuais. Casuais movem a indústria dos videojogos. E a partir do momento em que smartphones são capazes de jogar videojogos complexos, fica muito difícil o Joãozinho pedir uma PS Vita pelo Natal em vez de um espertofone.
A morte das consolas portáteis era quase garantida. A nintendo conseguiu revitalizar o mercado, mas só porque desistiu do mercado de consolas de mesa e consolidou todas as suas franquias num único sistema, e graças ao excelente marketing com ênfase na gimmick (não muito original) de ligar à televisão. Também ajudou sair num bom momento - sendo a única consola "nova" durante um bom período (tirando as revisões Pro/X da PS/Xbox). Agora a nintendo só precisa de continuar este sucesso com uma Switch 2 - apesar de que as vendas desta provavelmente vão ser muito menores que as da original; quem sabe quanto tempo este negócio da nintendo vai durar.

De qualquer das maneiras, o declínio (e eventual morte) das consolas portáteis era completamente aceite como facto em circulos gayming dedicados online. Uma indústria saudável não perde mais de metade da sua audiência num espaço de poucos anos.
>o facto de ter o preço errado, não ter uma ludoteca particularmente desenvolvida, os estúdios terem abandonado a plataforma e, também, hardware proprietário piçoso que literalmente custava mais do que o peso em ouro
A Vita no lançamento custava tanto quanto a 3DS custou no lançamento - mesmo sendo muitas vezes mais poderosa e tendo um ecrã muito melhor.
No que toca a jogos - tem uma biblioteca de jogos comparável à da 3DS (em número). Mas sim, as grandes third-parties abandonaram a consola - deixando-a para os desenvolvedores japa e indies. Algo que mencionei na minha posta - não tem nada a ver com a sony em si; se a rockstar não quer desenvolver um GTA para a PSV, isso é com rockstar.
Se com "hardware proprietário piçoso" queres dizer cartões de memória... mais uma vez, a grande maioria dos jogos vendidos eram em formato físico na altura da Vita. E um cartão de memória de 8GB podias arranjar por 20 euros. Caro para o que é, mas faz o trabalho
Respostas: >>4181
>>4180
>E a partir do momento em que smartphones são capazes de jogar videojogos complexos, fica muito difícil o Joãozinho pedir uma PS Vita pelo Natal em vez de um espertofone.
Isto literalmente não acontece. Não existe um mercado core gaymer nos espertofones. Tudo o que existe é um enorme fluxo de dinheiro normalóide que é gasto impulsivamente mas que não financia nenhum grande projecto. Daí que os devs precisam necessariamente de recorrer a práticas predatórias de monetização para que os projectos sejam lucrativos. Achas que a Apple é a terceira maior empresa de videojogos do mundo porque as pessoas andam a comprar jogos? Não. In-app purchases.
>A morte das consolas portáteis era quase garantida.
E todavia, vivemos num mundo em que a Nintendo Switch existe e domina o mercado de tal modo que muitos projectam ser a primeira consola a destronar a PS2 em vendas. Além disso, existe um mercado vibrante de consolas portáteis do Chinês feitas para pirateares jogos facilmente. E mesmo empresas grandes como a Valve apostam em projectos que tal como o Steampal. O que tu dizes não faz sentido. 
>A Vita no lançamento custava tanto quanto a 3DS custou no lançamento - mesmo sendo muitas vezes mais poderosa e tendo um ecrã muito melhor.
A 3DS teve um corte de preço no fim do primeiro ano, se não estou em erro. E quanto à PSV ser "muito mais poderosa", isso é extremamente discutível porque a 3DS apostava em features completamente diferentes.
>Se com "hardware proprietário piçoso" queres dizer cartões de memória...
Sim. Lamento não ter sido claro o suficiente. O hardware foi revisto para mais tarde aceitar MicroSD. Nem a Nintendo nintendou-se tanto com coisinhos proprietários quando já havia um standard perfeitamente viável no mercado.
Respostas: >>4182
>>4181
>Não existe um mercado core gaymer nos espertofones.
Exatamente. E o que eu te estou a tentar dizer é que os casuais eram grande parte do público da DS e PSP. Casuais esses que passaram a poder jogar jogos no smartphone. Sim, a grande maioria dos jogos de smartphone são objectivamente uma merda, costumam não ser mais que anúncios jogáveis com gambling. Para um casual que só quer joguetes para matar tempo, é excelente. Não tem que comprar uma consola, não tem sequer que comprar um jogo - quanto mais gasta um euro ou outro nas microtransações.
>O que tu dizes não faz sentido.
Na altura da 3DS/Vita fazia perfeito sentido, e é disso que estamos a falar.
Já te disse o porquê da Switch ter revitalizado o mercado de consolas portáteis. Se a situação da Switch é duradoura, se consolas portáteis estão aqui para ficar - não sei. Mas a Switch teve condições especiais que lhe conferiram o sucesso que até agora teve, e não vendeu apenas por ser uma consola portátil.
Quanto ao VaporAmigo... isso não vai ser competição para a Switch, é só um dispositivo de nicho para comer os clientes da GPD.
Respostas: >>4183
>>4182
>Para um casual que só quer joguetes para matar tempo, é excelente.
Entendo o que tu dizes. E é verdade que de algum modo estes modelos de negócio influenciaram jogos ultra normalóides como FIFA e afins. Mas não estou a ver a moda pegar, muito sinceramente. Já muitos se aperceberam do quão alienantes e cínicas estas práticas são, e até empresas como a EA tentam restaurar um módico de boa-fé entre os consumidores (o que é hilariante mas pronto). Quanto ao móvel gaymingue, acho que nem pode ser considerado estritamente gaymingue porque são só uma série de truques judaicos para chupar euróides ao normalóide através de facilidade de acesso a aplicações. Mesmo que seja um segmento poderoso (e ainda emergente) de mercado, é uma coisa que não tem nada que ver com gaymingue. Embora digo que estou curioso para ver como é que os putos que cresceram a apagar impressões digitais nos telemóveis dos pais vão ser influenciados por este tipo de merda. Os putos que eu conheço são todos mais ou menos assim, mas costumam ainda assim ter uma certa reverência por jogos normais.
>Na altura da 3DS/Vita fazia perfeito sentido, e é disso que estamos a falar.
Realmente nessa altura havia um entusiasmo um bocado estranho por espertofones. Todos achavam que eram as próximas grandes máquinas e que as consolas (portáteis ou não) iam todas morrer. E nada se converteu.
Respostas: >>4184
>>4183
>Já muitos se aperceberam do quão alienantes e cínicas estas práticas são, e até empresas como a EA tentam restaurar um módico de boa-fé entre os consumidores (o que é hilariante mas pronto).
Depende, a EA só faz essas figuras com jogos mais "hardcore", continua a ser sanguesuga em tudo o que é casual, desde jogos móveis aos FIFAs. Porque esse tipo de jogador casual não se queixa como os nerds do rédite se queixam de Battlefront II.
>Os putos que eu conheço são todos mais ou menos assim, mas costumam ainda assim ter uma certa reverência por jogos normais.
O meu irmão mais novo só quer saber de Fortnite. É literalmente a única coisa que joga
>que as consolas (portáteis ou não) iam todas morrer. E nada se converteu.
As consolas portáteis estavam mesmo mal.
A cena é que os jogadores que realmente gostavam de jogos portáteis continuaram a comprar consolas portáteis, mas os casuais começaram a desaparecer do mercado.

E Android como plataforma de jogos tinha grande potencial. Potencial para ser para as consolas portáteis o que o PC era para as consolas de mesa. Mas foi tudo à merda, de facto.
Respostas: >>4185
>>4184
Eu concordo que a EA faz muitas coisas só para tentar fazer boa figura. É o que é.

Android já é uma plataforma "com grande potencial" há mais de uma década. Simplesmente nunca irá acontecer, acho eu. Independentemente do muito sucesso que jogos como Fork Knife ou o Amongo tenham.
>>4166
>A Wii U foi um erro tão grande que quase faliu a Nintendo

Isso é um meme
A Nintendo é uma companhia com já 150 anos a acumular riqueza
Eles tem os fundos para suportar o equivalente a 15 ou + falhanços tipo a WiiU
E também o sucesso da Wii por si só conseguia cobrir as perdas da WiiU
O fracasso da WiiU simplesmente os fez repensar na sua estratégia quanto á sua linha de consolas caseiras
1009-10095058_post-crying-wojak.png
[Esconder] (59.4KB, 320x383) ImgOps
>>4167
>EU QUERO AS MINHAS CONSOLAS COM BONEQUINHOS COM MUITAS CORES E MÚSIQUINHAS QUANDO CARREGO NOS BUTÕESSS!!!!!
Respostas: >>4253 >>4256
1585102456950.png
[Esconder] (88.8KB, 805x851) ImgOps
>>4251
>YAAAAAAAASSSS MINIMALISMO
>YASSSSSS ZERO ESFORÇO E PERSONALIDADE
>YASSSS EU ADORO A MINHA SWITCH!
Respostas: >>4254 >>4256
thumb_the-soy-monster-nu-male-smile-know-your-meme-53638766.png
[Esconder] (94.4KB, 300x450) ImgOps
>>4253
>NÃOOOOOOOOO!!!! A MINHA PS VITA FOI UMA BOA COMPRAAAAAA!!! TEM BOLHAS FLUTUANTES E MUITOS EFEITOS SONOROS E UM MENU SUPER ANIMADO!!! 99.9% DAS PESSOAS É QUE NÃO SABEM O QUE É BOM!!! AO MENOS POSSO JOGAR PEQUENOGRANDEPLANETA NO METRO!!
Respostas: >>4255 >>4256
1584404064013.jpg
[Esconder] (52.7KB, 435x471) ImgOps
>>4254
>DESIGN NÃO IMPORTA
>ESTÉTICA NÃO IMPORTA
>IDENTIDADE NÃO IMPORTA
>UI NÃO IMPORTA
Respostas: >>4256
c9a423f7a196e9f24a727bb619ac418d849305284d3668012e40542fced963bf.jpg
[Esconder] (54.2KB, 564x564) ImgOps
>>4251
>>4253
>>4254
>>4255
Que cegonha alheira. Puta que pariu.
daa.gif
[Esconder] (128.6KB, 800x371) ImgOps
Eu ainda nem entendo como é que alguém dá quase 300 euros por uma consola que praticamente tem dois ou três jogos num oceano de portes e shovelware: aquilo é tão fraco que até a merda dos comandos OFICIAIS a 40€ cada um vão à vida num par de meses.
Respostas: >>4258 >>4259 >>4261
>>4257
Se parares de os mandar à parede cada vez que o teu pokemorino morre vais ver que duram mais
>>4257
>t. comprou merdasestação vita
Isto era um fio muito bom até os mouros chegarem. Enfim, é qualidade que se quer neste tasco.
>>4257
Eu não entendo como uma pessoa compra qq consola, ponto.
Se é pra jogar, então é um PC ou nada
Respostas: >>4262 >>4263 >>4264
>>4261
exclusivos
Respostas: >>4263
>>4261
Porque o preço de entrada é muito mais baixo.
>>4262
lol
>>4261
Preço de entrada relativamente baixo, não tens que andar a bater com a cabeça com problemas de software caso queiras emular, tens exclusivos bons que podes querer jogar, e no caso da Switch tens ainda a possibilidade de jogar portátil. Há vários motivos para quereres ter uma consola.
Respostas: >>4265
>>4264
>Preço de entrada relativamente baixo

Podes montar um PC 2x mais poderoso que a PS4 pelo mesmo preço
E os jogos são ainda mais baratos


>não tens que andar a bater com a cabeça com problemas de software caso queiras emular

Emuladores nunca foram difíceis de instalar
E hj em dia ainda são mais simples a configurar


>tens exclusivos bons

Isso é debatível
Pra além do mais o PC tem ainda uma maior quantidade de exclusivos


>e no caso da Switch tens ainda a possibilidade de jogar portátil

ya ok, este concedo-te
porque embora exista dispositivos de streaming como a nvidia shield, isso não é grande substituto
>>4165 (OP) 
pode até ter alma mas não tem jogos.
Respostas: >>4301
>>4300
dilata
https://en.wikipedia.org/wiki/Lists_of_PlayStation_Vita_games

33 respostas | 10 ficheiros
A conectar...
Ações

Ações:

Captcha:

Instruções
NotíciasRegrasFAQLegal/DMCADoar

Todas as marcas registadas, direitos de autor, comentários e ficheiros neste site são propriedade e responsabilidade dos seus respectivos autores e proprietários. Só um louco levaria o que aqui é escrito a sério.